sexta-feira, 13 de maio de 2011

Paixão


Carinhos furtivos,
beijos rápidos...
Ir, vir,
e afligir...


(Porto Alegre, 1972)

quarta-feira, 11 de maio de 2011

O mal do século



Ah! o mal do século.
Com a virada do século,
o Mal do Século deixou os alvéolos
e
 se
   encastelou
     nas
       almas...

Porto Alegre, 1971
(Século passado, portanto)

quarta-feira, 4 de maio de 2011

O pó da terra



Os campos já foram semeados.
Veio o arado,
a grade,
a semente.
Tudo misturado ao pó da terra.
A cidade, ao longe, está envolta numa névoa vermelha.
É a alma da terra, moribunda,
lentamente indo para o Céu.


Região do Planalto/RS, 1971

domingo, 1 de maio de 2011

Um poema soturno


A luz apagou
e não vi mais o tempo...
Fiquei sonhando.
Ouvindo o tempo
bater de leve.
E você, por que não veio?

Pelotas, 1963