sexta-feira, 22 de abril de 2011

Foz


Nome tão pequeno para tantas possibilizades.
Pode lembrar partidas, mas, também, chegadas.
Descortina o oceano,
resguarda o rio.
É caminho de ida, é caminho de volta.
Saudades ficam, esperanças se abrem.
Ela fica sempre ali, melancólica, a foz;
garganta comprida
esgoelada pelas enormes pedras dos molhes.


Passo de Torres, 22-04-2011

Nenhum comentário: